É dono de Fiat Argo? Você pode ter direito a reembolso de R$400.



Após anos de reclamações que renderam de reportagens em QUATRO RODAS a processos judiciais, a Fiat parece confiante de que fará as pazes com alguns donos do hatch Argo, insatisfeitos com a central multimídia de seus carros.Em um comunicado discreto e sem divulgação à imprensa, a marca anunciou opções aos donos de Fiat Argo Drive equipados com a polêmica tela de 9’’ polegadas que oferecia menos funções do que o prometido.


Os problemas começaram em junho de 2018, quando a central Uconnect 7, compatível com Android Auto e Apple Carplay, deixou de ser oferecida aos Argo Drive, barateados em R$ 2.300 com a mudança. Simultaneamente, a central de 9’’ fabricada pela Multilaser estreou como parte do pacote opcional de multimídia (R$ 1.990), acompanhada de volante multifuncional e entradas USB na segunda fileira, e no Pack Connect (R$ 3.800), com esses mesmos equipamentos além de faróis de neblina de rodas de liga leve de 15’’.


Durou pouco, e após reclamações quase imediatas a Fiat reinseriu a Uconnect 7 nos Argo Drive em fevereiro de 2020. Se antes o equipamento era de série no Drive 1.3 e opcional no Drive 1.0, em seu retorno o item se tornou opcional a ambas motorizações, custando R$ 2.990 e sem outros equipamentos incluídos no preço.


Apesar do bom tamanho, o display não dispunha de navegadores como Google Maps e Waze, tampouco suporte a Apple Carplay e Android Auto. Era tecnicamente possível espelhar a tela do smartphone na central, mas o processo era complexo e se tornou eventualmente impossível graças a atualizações em sistemas operacionais Android e iOS.


Todas essas funções seguirão inexistentes, mas donos de versões Drive do hatch fabricadas entre 30/4/2018 e 23/12/2019 e equipadas com a tela de 9’’ poderão levar seus veículos à concessionária para uma atualização que incluirá navegação via GPS na central multimídia.


A solução apresentada pela Fiat vem de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios em 2 de julho. Nele o MPDFT ressalta que “a solução tecnicamente viável, no momento, é a instalação de dispositivo para possibilitar a utilização da função do produto afetada (navegação/geolocalização)”.


Não há motivo de pressa na atualização, dado que o prazo para que ela seja efetuada é de até cinco anos após a emissão da nota fiscal do veículo. Outra obrigação da Fiat é de seguir atualizando “mapas e demais informações” da central de modo gratuito “também gratuita, nos cinco anos seguintes ao da instalação, totalizando seis anos de atualizações ao cliente”.


Quem não aceitar a proposta poderá solicitar um reembolso de R$ 400,00, “a título de abatimento proporcional do preço, face a incompatibilidade apresentada pela central multimídia de 9’’ com as recentes atualizações dos aparelhos celulares, que afeta exclusivamente a função de espelhamento”, diz o comunicado da fabricante.


Um ponto polêmico, entretanto, é a exigência de que apenas o “primeiro e atual proprietário” do carro possa solicitar a atualização ou pedir o reembolso, excluindo do TAC aqueles que compraram seus Argo usados. Procurada por QUATRO RODAS, a assessoria de imprensa da Fiat se comprometeu a esclarecer o motivo dessa exigência. Apesar dos contatos, porém, não houve resposta no prazo prometido. 


A exigência prevista no TAC provocou irritação entre donos dos modelos afetados e já há relatos de consumidores que se preparam para reclamar o benefício através da Justiça, mesmo não sendo donos originais. O próprio Ministério Público ressalta que “o TAC não impede que os consumidores, individualmente, busquem soluções diversas nas esferas administrativa e judicial”.


Caso o cliente seja o primeiro dono de um Fiat Argo fabricado entre 30/4/2018 e 23/12/2019 e com a central multimídia de 9’’ instalada o processo de instalação ou reembolso pode ser iniciado através do 0800-707-1000 ou via WhatsApp, em (31) 2123-6000.


Por Quatro Rodas

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo